festival.jpg Foto:Festival Regional de Gastronomia de Leiria

O governo vai extinguir as cinco regiões de turismo e os seis polos turísticos, a decisão foi anunciada por Miguel Relvas numa entrevista a um jornal regional.


“ O modelo das regiões de turismo está desadequado. Quem tem que gerir o turismo são os empresários do sector. O Estado tem que acompanhar. Quem faz o turismo não são as organizações onde estão ex-autarcas. A acção do Turismo de Lisboa e Vale do Tejo, por exemplo, é risível e nós em Portugal temos obrigação de apostar mais no turismo. O modelo em que me revejo é o do Turismo de Lisboa em que está o público e o privado”, afirma o ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares ao jornal O Mirante.


Miguel Relvas considera que o actual modelo está ultrapassado e por isso, precisa de ser reformulado. Como alternativa, o governante aponta o exemplo do Turismo de Lisboa, onde já funciona um regime de parceria público-privada.


As cinco regiões de turismo ainda em funcionamento são Porto e Norte, Centro, Vale do Tejo, Alentejo e Algarve e os seis pólos turísticos Douro, Serra da Estrela, Leiria-Fátima, Oeste, Litoral Alentejano e Alqueva. O novo modelo de promoção do turismo passará a ter como base apenas cinco unidades territoriais.


Por outro lado, a secretária de Estado do Turismo, Cecília Meireles, anunciou que irá a apresentar, no próximo dia 16 de Janeiro, a nova organização territorial do turismo português.